Sinais que podem indicar problemas na tireóide

Enquanto aproximadamente 59 milhões de pessoas nos EUA sofrem de problemas de tireóide, a grande maioria afetada nem imaginam possuí-lo. No entanto, quando a tireóide (a glândula em forma de borboleta no pescoço) está disfuncional, pode causar uma série de problemas de saúde, incluindo ganho de peso, disfunção sexual, depressão, doenças cardíacas e fadiga extrema. É por isso que é vital determinar se você tem algum dos seguintes sintomas normalmente associados a problemas na tireóide

1. Fatiga

Sentir-se exausto ao acordar, sentir que 8 ou 10 horas de sono por noite não são suficientes ou ser incapaz de funcionar o dia todo sem ao menos uma soneca podem ser sinais de um problema de tireóide. Com uma tireóide hiperativa (hipertireoidismo), você também pode ter insônia noturna que o deixa exausto durante o dia. Os sintomas de fadiga são geralmente leves no início antes de aumentarem de intensidade.

O principal indicador de fadiga relacionada à tireóide é que ela não alivia, não importa o quanto você durma à noite ou cochile durante o dia. Essa fadiga inibe sua capacidade de permanecer produtivo no dia-a-dia e geralmente é o que os leva a consultar um médico para um diagnóstico.

2. Mudanças no peso

Se você tentou todas as dietas com baixo teor de gordura, baixo teor de carboidratos e baixas calorias com pouco sucesso na perda de peso, pode ser que tenha uma tireóide hipoativa (hipotireoidismo). Uma glândula tireóide hipoativa é como atolar seu metabolismo em areia movediça, desacelerando-o ao ponto da ineficácia.

Com uma tireóide hiperativa, ou hipertireoidismo, os pacientes geralmente não conseguem ganhar peso, não importa o quanto comam. Isso ocorre porque uma tireóide excessivamente ativa acelera o metabolismo a velocidade da luz, fazendo com que o corpo queime calorias como o combustível de um foguete. Muitos pacientes também apresentam perda de peso dramática e inexplicável.

3. Dores musculares e nas juntas

Dores e desconfortos inexplicáveis nos músculos e articulações (com pouco ou nenhum esforço físico) podem ser sintomático de uma condição na tireóide. Essas dores podem ser intensas e implacáveis, interferindo nas atividades normais e inibindo a capacidade do paciente de realizar movimentos e ações dentro de suas funções normais.

Esses sintomas também podem se manifestar como fraquezas musculares, tornando grupos musculares específicos repentinamente incapazes de suportar cargas normais de trabalho. Algumas pessoas apresentam tremores nas mãos, que podem se tornar grave. Dor, inchaço e rigidez também podem ocorrer nos músculos e articulações.

4. Pescoço inchado

Inchaço no pescoço ou uma tireóide visivelmente maior que leve à dor no pescoço e a uma voz mais grave podem indicar uma doença na tireóide. Essa condição é conhecida como “bócio” e geralmente se apresenta como um aumento localizado na base do pescoço, afetando a pele e os tecidos circundantes que servem de proteção para a própria glândula.

No entanto, a presença de um bócio não indica necessariamente que há um problema com a própria tireóide. Esse tipo de inchaço significa simplesmente que há alguma condição subjacente que está afetando o tamanho da tireóide e fazendo com que ela cresça e, caso ocorra isoladamente, sem a presença de outros sintomas, pode não exigir um tratamento agressivo.

5. Mudanças na pele e cabelo

Mudanças no cabelo e na pele geralmente são os primeiros sinais de problemas de tireóide, incluindo sintomas como cabelos secos, perda de cabelo, pele escamosa ou pele excessivamente seca. O crescimento normal e regular do cabelo é, na verdade, dependente do bom funcionamento da glândula tireóide e problemas com sua função podem causar calvície em homens e mulheres, bem como a perda de pêlos no corpo.

A glândula tireóide também regula a entrega de hormônios que desempenham papéis importantes na manutenção de uma pele saudável. Quando a tireóide está sub-ativa ou hiperativa, esses hormônios não são entregues nas quantidades adequadas, resultando em alterações adversas visíveis na pele.

6. Distúrbio intestinais

Tanto o hipotireoidismo quanto o hipertireoidismo podem causar alterações nos hábitos intestinais, pois ambas as condições interferem na capacidade do corpo de digerir alimentos e gerar resíduos. As pessoas que sofrem de hipotireoidismo muitas vezes têm dificuldades em evacuar, resultando em constipação crônica. Os movimentos intestinais também podem ser dolorosos e causar problemas adicionais, como hemorróidas.

Para pessoas com hipertireoidismo, os movimentos intestinais podem se tornar mais frequentes e mais urgentes. A diarréia também pode ocorrer. As fezes tendem a ser mais moles, bem líquidas e podem ocorrer mesmo que o paciente tenha comido pouco.

7. Desequilibrio Menstrual

Tanto uma glândula tireóide hipoativa quanto hiperativa pode interromper os ciclos menstruais das mulheres, e como outros sintomas dependentes da condição, a natureza das mudanças depende do paciente estar sofrendo de hipotireoidismo ou hipertireoidismo. Mulheres com glândulas tireóides hiperativas podem ter menstruação mais leve do que o normal e também podem perder ciclos por completo.

Por outro lado, uma glândula hiperativa pode causar menstruações mais pesadas do que o normal ou ciclos que duram vários dias a mais do que o regular. O próprio ciclo menstrual pode encurtar e corrimentos podem ocorrer.

8. Depressāo

Depressão ou transtornos de ansiedade podem indicar problemas na tireóide, embora esses sintomas geralmente não sejam suficientes para justificar um diagnóstico. Esses sintomas psiquiátricos e distúrbios de humor podem se apresentar de forma generalizada ou aguda. Em outras palavras, os pacientes podem mergulhar lentamente em períodos de depressão leve à grave, ou podem experimentar explosões inesperadas, repentinas e intensas dos sintomas, como crises de pânico.

Desequilíbrios de humor são mais frequentemente observados com glândulas hiperativas. Esses sintomas podem ser acompanhados por uma sensação geral de mal-estar ou letargia, incapacidade ou falta de concentração ou sensação de lentidão mental.

9. Síndrome do túnel do Carpo

Fraqueza ou formigamento nos braços, pulsos e mãos podem ser um sinal de síndrome do túnel do carpo, que é um sinal comum de um problema na tireóide não diagnosticado. Embora exista um número clinicamente significativo de pacientes que apresentam esses sintomas, muitos médicos e até especialistas não estão cientes da forte ligação entre problemas de tireóide e síndrome do túnel do carpo. Devido a isso, a causa real dos sintomas do túnel do carpo é frequentemente mal diagnosticada.

O tratamento para a síndrome do túnel do carpo relacionada à tireóide é o mesmo que para a síndrome do túnel do carpo relacionada ao estresse ou lesão. Melhorias ergonômicas, suportes de pulso, fisioterapia, exercícios especializados e medicamentos anti-inflamatórios podem ser recomendados como tratamento.

10. Histórico familiar

Se você tem um histórico familiar de doença da tireóide ou “bócio”, pode ser que desenvolva problemas de tireóide no futuro. Acredita-se que a doença tenha um forte componente genético, e você deve ficar especialmente alerta caso tenha um parente próximo que desenvolva uma condição hiperativa ou hipoativa da tireoide.

Fatores de risco adicionais incluem histórico familiar de doenças autoimunes, idade e sexo. As mulheres têm problemas de tireóide com mais frequência do que os homens, e a maioria dos casos aparece em pacientes com mais de 50 anos de idade. A doença da tireóide é mais uma razão pela qual você deveria parar de fumar, pois pesquisas descobriram que os fumantes de ambos os sexos correm maior risco de desenvolvê-la.

11. Sentir-se trêmulo ou ansioso

Como mencionado anteriormente, sentir-se ansioso pode indicar um problema com a sua tireóide. No entanto, esses sintomas podem não apresentar-se, necessariamente, como um ataque de fato.

Em vez disso, você pode sentir-se tenso ou nervoso, como se tivesse bebido muitas xícaras de café ou apresentar nervosismo e agitação. Isso geralmente ocorre com o hipertireoidismo, porque a glândula tireóide está com produção desenfreada de hormônio, resultando em uma sensação constante de que precisa “ir, ir, ir”. Então, caso você tenha tido dificuldade em relaxar ultimamente, uma tireóide hiperativa pode ser o problema.

12. Palpitações cardíacas

Muitas vezes, os sentimentos de ansiedade e nervosismo mencionados acima são acompanhados por palpitações cardíacas, como se sentisse que seu coração está pulando ou batendo mais rapidamente do que o normal (conhecido clinicamente como taquicardia). Essas sensações podem ser sentidas no peito ou em um ponto de pulsação do corpo e são um sinal de produção excessiva de hormônio tireoidiano, o que caracteriza o hipertireoidismo.

Com o hipotireoidismo, no entanto, o oposto pode ocorrer. Ou seja, a frequência cardíaca pode diminuir. Isso ocorre porque o hormônio da tireóide regula tal frequência. Portanto, se houver uma quantidade insuficiente de hormônio sendo produzida pela glândula, o coração pode bater cerca de 10 a 20 batimentos por minuto mais lento do que o normal.

13. Confusão Mental

A capacidade do cérebro de funcionar plenamente também é afetada por problemas com a tireóide – tanto para atividades mentais pouco ativas quanto para excessivamente ativas. Com o hipotireoidismo por exemplo, as pessoas geralmente sentem um “branco” nos pensamentos e são mais lentas e esquecidas do que o normal.

Por outro lado, aqueles com hipertireoidismo tendem a ter dificuldade em se concentrar. Isso se deve ao excesso de produção de hormônios da tireoide, o que dificulta o relaxamento e o foco, e às vezes resulta em ansiedade e crises de pânico, como mencionado anteriormente.

14. Sudorese intensa

Caso você se encontre com a camisa embaixo dos braços sempre molhada sem nenhum motivo aparente (mesmo sem nenhum esforço físico sendo feito), pode ser um sinal de um problema de tireóide, mais especificamente, hipertireoidismo. Isso ocorre porque o excesso de hormônio da tireóide faz com que as células fiquem hiperativas, resultando em uma temperatura corporal mais alta que o normal e causando transpiração excessiva.

Por outro lado, as pessoas com hipotireoidismo tendem a sentir o oposto, o que significa que muitas vezes sentem frio ou calafrios. Isso se deve ao fato de que, com uma glândula hipoativa, as células do corpo queimam menos energia. E como essa energia é o que dá calor ao corpo, menos dela significa que a temperatura do corpo se apresentará mais baixa do que o normal.

15. Baixa libído e infertilidade

Um problema de tireóide também pode ser o culpado de uma diminuição do desejo sexual. Com o hipotireoidismo, a baixa libido é devido à falta de hormônio tireoidiano circulando no corpo, mas sintomas, como falta de energia e dores musculares e articulares, também podem contribuir.

Juntamente com a baixa libido, as mulheres com hipotireoidismo também podem ter dificuldade em engravidar ou, se engravidarem, muitas vezes sofrem abortos prematuros. Este também é o caso de mulheres com hipertireoidismo, pois ambas as condições podem interferir na ovulação, prejudicando a fertilidade e causando complicações.

Avatar

ActiveBeat Português

X